METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO JURÍDICA, AVALIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

45 horas-aula – 15 encontros semestrais

Ementa

Educação, ensino e ensinagem: suas metodologias. Acesso à educação e políticas públicas na área educacional. A formação de juízes, advogados e membros do Ministério Público e como ela influencia nas atividades exercidas. A formação dos profissionais jurídicos e suas influências no acesso à justiça e ao desenvolvimento. Direito ao desenvolvimento como direito humano e fundamental. Avaliação educacional como instrumento de formação, regulação e acesso ao desenvolvimento. Desafios epistemológicos e práticos da avaliação no âmbito da educação jurídica. Fundamentos e práticas de avaliação. Avaliação para a aprendizagem, avaliação de instituições escolares e avaliação de políticas públicas. Formação profissional jurídica e seus desafios em termos de aperfeiçoamento e avaliação. Desenvolvimento e/ou criação de modelos em avaliação e instrumentos de medidas para avaliar o desempenho dos cursos jurídicos. Estratégias de acompanhamento de políticas sociais de espectro mais amplo. Rumos da educação jurídica e da avaliação no século XXI.

Bibliografia

ABREU, Sérgio França Adorno de. Os Aprendizes do Poder – bacharelismo liberal na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988. BARBULES, Nicholas C. e TORRES,Carlos Alberto Torres (orgs.). Globalização e Educação: perspectivas críticas. Trad. Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed Editora,2004. BOURDIEU, P; PASSERON, J. C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema educativo. Rio de Janeiro:Francisco Alves, 1975. BRANT, Leonardo Nemer Caldeira. “O Direito ao Desenvolvimento como Direito Humano”, in Revista Brasileira de Estudos Políticos. Minas Gerais: UFMG, 1995. CONSTABLE, Marianne. Law as Language. Critical Analysis of Law: An International Interdisciplinary Law Review. 1:1 (2014), p. 63-74. CORREA, Leonardo Alves. Existe um conceito jurídico de desenvolvimento?: notas da proposta de uma teoria jurídica de desenvolvimento pluridimensional constitucionalmente adequada. Revista Fórum de Direito Financeiro e Econômico – RFDFE, Belo Horizonte, ano 1, n. 1, p. 269-287, mar./ago. 2012. DEMO, Pedro. Avaliação sob o olhar propedêutico. Campinas: Papirus, 1996. DILTHEY, Wilhelm. Filosofia e Educação: textos selecionados. Org. Maria de Nazaré de Camargo Pacheco Amaral. Trad. Alfred Josef Keller e Maria de Nazaré de Camargo Pacheco Amaral. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2010. FRANCO, Magda Pascon Junqueira; SPAGNOL, Rosângela Paiva. Educação jurídica: uma responsabilidade em contexto com o social. Atualidades Jurídicas – Revista do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Belo Horizonte, ano 2, n. 2, p. 125-144, jan./jun. 2012. JONAS, Hans. O Princípio Responsabilidade: ensaio de uma ética para a civilização tecnológica. Rio de Janeiro: Contraponto e PUC-Rio, 2006. LIBÂNEO, José Carlos e ALVES, Nilda (orgs.). Temas de Pedagogia: diálogos entre didática e currículo. São Paulo: Cortez, 2012. LIMA, Carolina Alves de Souza. A conquista da educação como direito fundamental. Revista Brasileira de Estudos Constitucionais – RBEC, Belo Horizonte, ano 9, n. 32, p. -, maio/ago. 2015. NOBRE JÚNIOR, Edilson Pereira. A jurisdição constitucional e os direitos fundamentais: uma análise em torno do direito ao desenvolvimento. A&C – Revista de Direito Administrativo & Constitucional, Belo Horizonte, ano 11, n. 46, p. 57-74, out./dez. 2011. NOLETO, Mauro Almeida. Metodologia do ensino jurídico e avaliação em direito. Revista CEJ. v. 2, n. 4, p. 111, abr. 1998. PARO, Vitor Henrique. Educação como Exercício do Poder: crítica ao senso comum em educação. 3ª edição. São Paulo: Cortez, 2014. PERRENOUD,Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. (Trad.) Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Artmed, 1999. PIMENTA, Selma Garrido e ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência no Ensino Superior. 4ª edição. São Paulo: Cortez, 2010. SADEK, Maria Tereza; BENETI, Sidnei Agostinho e FALCÃO, Joaquim. Magistrados: uma imagem em movimento. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006. SADEK, Maria Tereza. O Ministério Público e a justiça no Brasil. São Paulo, Idesp/Sumaré, 1997. SANTOS, Boaventura de Sousa. Por uma Revolução Democrática da Justiça. 3ª edição. São Paulo: Cortez, 2011. SEN, Amrtya. Desenvolvimento como liberdade, São Paulo: Companhia das Letras, 1999. SILVA, Janssen Felipe da. Avaliação na perspectiva formativo-reguladora: pressupostos teóricos e práticos. Porto Alegre: Mediação, 2010. STRECK, Lênio Luiz. Jurisdição Constitucional e Decisão Jurídica. 3ª ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2013. TYLER, R.W. Avaliando experiências de aprendizagem. In: Goldberg, M.A.A & SOUZA, C.P. (orgs.). Avaliação de programas educacionais: vicissitudes controvérsias e desafios. São Paulo: EPU,1982. TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas,1995. VIANNA, Heraldo M. Avaliação Educacional: teoria – planejamento – modelos. São Paulo: IBRASA, 2000.

Mídias Sociais

Unichristus
Unichristus 2018. Todos os Direitos Reservados.