Menu Principal

Medicina

medicina-header

É a ciência que investiga a natureza e as causas das doenças humanas, procurando sua cura e prevenção. A saúde humana é o objeto de estudo do médico. O profissional formado em Medicina pesquisa e trata disfunções e moléstias, escolhendo os melhores procedimentos para preveni-las e combatê-las. Para isso, tem de estar sempre bem informado a respeito de novas drogas e equipamentos que proporcionem aos pacientes os diagnósticos e os tratamentos mais avançados e eficientes.

Com um conhecimento aprofundado dos órgãos, dos sistemas e dos aparelhos do corpo humano, faz diagnósticos, pede exames, prescreve medicamentos e realiza cirurgias. Participa também de programas de prevenção e de planejamento da saúde coletiva.

Há trabalho para o médico em hospitais, clínicas, postos de saúde e empresas. Grande parte atua também em consultório próprio. Além disso, pode trabalhar como consultor em sites especializados, voltados para o exercício da Medicina.

O médico formado pela Unichristus deverá:

  • estar preparado para agir com eficiência nas situações de iminente risco de vida;
  • estar capacitado a atuar, no processo de saúde-doença, em seus diferentes níveis de atenção;
  • ter senso de responsabilidade social e postura humanística;
  • ser promotor da saúde integral do ser humano;
  • rer visão crítica, espírito investigativo e autonomia na busca do conhecimento;
  • ser generalista, crítico e reflexivo;
  • rer ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência;
  • ter compromisso com a ética e com a cidadania;
  • estar preparado para solucionar os problemas de saúde mais prevalentes;

O Profissional de Medicina pode atuar nas seguintes áreas:

Acupuntura, Alergia e Imunologia, Anestesiologia, Angiologia e cirurgia vascular, Cancerologia, Cardiologia, Cirurgia, Clínica médica, Coloproctologia, Dermatologia, Endocrinologia e metabolia, Gastroenterologia, Genética médica, Geriatria e gerontologia, Ginecologia e obstetrícia, Hematologia e Hemoterapia, Homeopatia, Infectologia, Mastologia, Medicina da dor, Medicina Esportiva, Medicina geral e comunitária, Medicina legal e perícia médica, Medicina sanitária, Medicina do trabalho, Nefrologia, Neurologia e neurofisiologia, Nutrologia, Oftalmologia, Ortopedia e traumatologia, Otorrinolaringologia, Patologia e patologia clínica, Pediatria, Pneumologia, Psiquiatria, Radiologia e diagnóstico por imagem, Radioterapia, Reumatologia, Terapia Intensiva, Urologia, Medicina paliativa, Medicina do sono e Medicina tropical.

icone_formacao  Formação
  Bacharel em Medicina

 

icone_duracao  Duração
  12 (doze) semestres

 

icone_turno

  Turno
  Integral

 

icone_campus

  Campus
  Parque Ecológico

1º Série

Módulos Verticais
  • Genética e Embriologia
  • Homeostasia e Respostas às Agressões
  • Iniciação à Medicina Baseada em Evidências
  • Integração dos Sistemas Humanos I
  • Integração dos Sistemas Humanos II
  • Integração dos Sistemas Humanos III
  • .
Módulos Horizontais
  • Comunicação, Habilidades e Atitudes – CHA I
  • Comunicação, Habilidades e Atitudes – CHA II
  • Integração, Serviço, Ensino e Comunidade – ISEC I
  • Integração, Serviço, Ensino e Comunidade – ISEC II

2º Série

Módulos Verticais
  • Integração dos Sistemas Humanos IV
  • Integração dos Sistemas Humanos V
  • Integração dos Sistemas Humanos VI
  • Integração dos Sistemas Humanos VII
  • Ortopedia e Traumatologia
  • Intoxicação e Meio Ambiente
  • Eletivo I e Eletivo II
Módulos Horizontais
  • Comunicação, Habilidades e Atitudes – CHA III
  • Comunicação, Habilidades e Atitudes – CHA IV
  • Integração, Serviço, Ensino e Comunidade – ISEC III
  • Integração, Serviço, Ensino e Comunidade – ISEC IV

3º Série

Módulos Verticais
  • Concepção e Formação do Ser Humano
  • Eletivo III
  • Interação com o Meio Ambiente
  • Integração dos Sistemas Humanos VIII
  • Nascimento, Crescimento, Desenvolvimento
  • Percepção, Consciência e Emoção
  • Processo de Envelhecimento
Módulos Horizontais
  • Comunicação, Habilidades e Atitudes – CHA IV
  • Comunicação, Habilidades e Atitudes – CHA V
  • Integração, Serviço, Ensino e Comunidade – ISEC V
  • Integração, Serviço, Ensino e Comunidade – ISEC VI

4º Série

Módulos Verticais
  • Vivência Clínica I
  • Vivência Clínica II
  • Vivência Clínica III
  • Vivência Clínica IV
  • Vivência Clínica V
  • Vivência Clínica VI
  • .
Módulos Horizontais
  • Comunicação, Habilidades e Atitudes – CHA VII
  • Comunicação, Habilidades e Atitudes – CHA VIII
  • Integração, Serviço, Ensino e Comunidade – ISEC VII
  • Integração, Serviço, Ensino e Comunidade – ISEC VIII

5º Série

Módulos
  • Saúde do Adulto 1
  • Saúde Materno-Infantil 1
  • Eletivo

6º Série

Módulos
  • Saúde do Adulto 2
  • Saúde Materno Infantil 2
  • Emergência e Trauma
  • Eletivo
DocenteTitulaçãoCurriculum Lattes
Acrísio Sales ValenteDoutoradoMais informações
Alexander Amaral MedeirosDoutoradoMais informações
Ana Amélia Reis JereissatiEspecialistaMais informações
Ana Lúcia do Rego Rodrigues CostaMestradoMais informações
Ana Paula Ximenes AlvesDoutoradoMais informações
Anamaria Cavalcante e SilvaDoutoradoMais informações
Antônio Eusébio Teixeira RochaMestradoMais informações
Antônio Luiz Carneiro JerônimoMestradoMais informações
Antônio Miguel Furtado LeitãoEspecialistaMais informações
Arnaldo Aires Peixoto JúniorDoutoradoMais informações
Bráulio Matias de CarvalhoMestradoMais informações
Camila Teles Franco da Silveira AlbuquerqueMestradoMais informações
Carlos Eduardo Barros JucáDoutoradoMais informações
Carlos Nobre Rabelo JúniorDoutoradoMais informações
Charles Jean Gomes de MesquitaMestradoMais informações
Cláudia Maria Costa de OliveiraDoutoradoMais informações
Cláudio Maurício Muniz RodriguesMestradoMais informações
Débora Cabral Coutinho LibórioDoutoradoMais informações
Dirlene Mafalda Ildefonso da SilveiraMestradoMais informações
Edson Lopes da PonteMestradoMais informações
Elsie Sobreira KubruslyDoutoradoMais informações
Estefânia Mota Araripe PereiraMestradoMais informações
Fabiana Maria Lustosa Martins CorettiMestradoMais informações
Farley Janusio Rebouças ValentimMestradoMais informações
Francisco Albano de MenesesMestradoMais informações
Francisco das Chagas MedeirosDoutoradoMais informações
Francisco Edson Ximenes Gomes PereiraEspecialistaMais informações
Francisco Roberto Neves SólonEspecialistaMais informações
Frederico Augusto de Lima e SilvaMestradoMais informações
Gilson Holanda AlmeidaDoutoradoMais informações
Gleydson César de Oliveira BorgesMestradoMais informações
Grijalva Otávio Ferreira da CostaMestradoMais informações
Helena Maria Barbosa CarvalhoDoutoradoMais informações
Hermano José Sales RochaMestradoMais informações
Iusta CaminhaMestradoMais informações
João Aragão Ximenes FilhoPós-DoutoradoMais informações
João Erivan Façanha BarretoMestradoMais informações
Joaquim José de Lima SilvaMestradoMais informações
Jocileide Sales CamposDoutoradoMais informações
José Alberto Dias LeiteDoutoradoMais informações
José Christian Machado XimenesDoutoradoMais informações
José Ivamberg Nobre de SenaDoutoradoMais informações
José Napoleão Tavares ParenteMestradoMais informações
José Nivon da SilvaMestradoMais informações
José Saraiva Barbosa FilhoEspecialistaMais informações
Joseane Marques FernandesMestradoMais informações
Juliana Custódio LimaEspecialistaMais informações
Kelma Maria Souza BastosDoutoradoMais informações
Keylla Márcia Menezes de SouzaMestradoMais informações
Leandro Lage RochaEspecialistaMais informações
Leonardo de Oliveira CavalcanteMestradoMais informações
Luciana Maria Pereira de OliveiraMestradoMais informações
Luciano Silveira PinheiroDoutoradoMais informações
Manoel Cláudio Azevedo PatrocínioDoutoradoMais informações
Marcelo Jorge Jacó RochaDoutoradoMais informações
Marcos Antônio AlvesMestradoMais informações
Marcos KubruslyDoutoradoMais informações
Maria do Livramento Leitão VilarDoutoradoMais informações
Maria Gurgel de MagalhãesMestradoMais informações
Mayra Isabel Correia PinheiroMestradoMais informações
Melissa Soares MedeirosDoutoradoMais informações
Miguel Nasser HissaDoutoradoMais informações
Norma Selma Santos CostaDoutoradoMais informações
Olga Vale Oliveira MachadoMestradoMais informações
Paulla Vasconcelos ValenteMestradoMais informações
Raquel Pessoa de CarvalhoEspecialistaMais informações
Regina Lúcia Portela DinizDoutoradoMais informações
Rochelle Pinheiro RibeiroMestradoMais informações
Sâmia Mustafa AguiarMestradoMais informações
Sheila Márcia de Araújo FonteneleDoutoradoMais informações
Simone Castelo Branco FortalezaMestradoMais informações
Tereza de Jesus Pinheiro Gomes BandeiraDoutoradoMais informações
Terezinha de Jesus Teixeira SantosDoutoradoMais informações
Tulius Augustus Ferreira de FreitasMestradoMais informações
Wládia Guimarães Pereira NogueiraMestradoMais informações

Objetivos Gerais

O Curso visa à formação geral do aluno em Medicina, capacitando-o para:

  • Adquirir visão humanística, postura ética, compromisso com a cidadania e senso de responsabilidade social;
  • Promover a valorização da bioética no campo da Medicina;
  • Adquirir preparo para compreender os indivíduos e as comunidades da região e intervir em suas necessidades de saúde, em situação social específica, com o objetivo de reduzir os danos e ampliar a autonomia social;
  • Ter conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias para que possa atuar como médico com formação geral, apto a promover a saúde, prevenir e tratar a doença e reabilitar a incapacidade;
  • Dar resolutividade para os principais problemas de saúde da população.

Objetivos Específicos

Formar médicos generalistas habilitados para:

  • responder de forma contínua e racionalizada à demanda organizada ou espontânea pelos serviços de Saúde da Família, na comunidade, no domicílio e no acompanhamento ao atendimento nos serviços de referência ambulatorial ou hospitalar;
  • entender da saúde individual inserida em um contexto socioeconômico de uma determinada população;
  • exercer técnicas efetivas para o gerenciamento dos problemas de saúde dos pacientes e da população;
  • trabalhar em equipe e atuar para a melhoria da saúde da população;
  • desenvolver movimentos para a construção de marcos conceituais e teóricos cujos delineamentos estejam de acordo com a realidade nacional, com enfoque de família e coletividade, em que a relação saúde-doença, contexto social e desenvolvimento humano, ética e humanismo e participação social sejam os pilares fundamentais;
  • desenvolver prática baseada em evidências;
  • identificar os problemas de saúde prevalentes e as situações de risco aos quais a população está exposta;
  • atuar em sintonia com o perfil epidemiológico regional;
  • aprender continuamente;
  • desenvolver ações educativas e intersetoriais para o enfrentamento dos problemas de saúde identificados.

Nacionais

Internacionais

As instituições de ensino superior têm sido estimuladas a transformarem-se em direção a um ensino que valorize a equidade e a qualidade da assistência e a eficiência e relevância do trabalho em saúde. No caso específico da educação médica, a mudança significa formar médicos com habilidades adequadas às exigências da carreira profissional, a serem exercidas com responsabilidade e curiosidade científica, que lhes permita recuperar a dimensão essencial do cuidado: a relação entre humanos. Desde o início do século XX, o ensino de Medicina experimentou diversas propostas de reforma, entre as quais se destaca a que teve maior influência na América Latina e no Brasil: a reforma Flexner, que foi decorrente de estudo de Flexner publicado em 1910 sendo uma reforma “cientificista”, que propõe uma reconfiguração da prática educacional das escolas médicas essencialmente como uma capacitação técnica, cientificamente fundamentada.

Ainda hoje as escolas médicas fazem uso, muitas vezes acriticamente, dos parâmetros educacionais datados de 1910.

Na década de 1950, o ensino médico sinalizou uma retomada na busca por mudanças, com o pioneirismo de John Dewey e seus aprendizes da Case Western Reserve University, com métodos de ensino-aprendizagem que, atualmente, servem como base para a estratégia pedagógica inovadora centrada no estudante e baseada na resolução de problemas, utilizada com sucesso em inúmeras escolas médicas de todo o mundo, inclusive no Brasil.

Ações organizadas visando à formação de médicos de família já apontavam para um movimento mais amplo, de expressão reivindicatória de justiça social, em busca do aprimoramento e da expansão da atenção primária de saúde, que teve como máxima a Declaração de Alma-Ata ( Declaração de Alma-Ata . Conferência Internacional sobre cuidados primários de saúde; realizada de 6 a 12 de setembro de 1978 na cidade de Alma-Ata / Cazaquistão). Reforça-se, então, a noção de que, para o atendimento das urgentes reivindicações, faz-se necessário elaborar novas estratégias curriculares, visando a um ensino centrado no aluno.

Essa mudança de paradigma que promove o ensino centrado no aluno faz eco aos quatro pilares do conhecimento, citados no Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI (DELORS, 1999), que foram lembrados como expressão síntese da compreensão das dimensões do processo de ensino/aprendizagem:

  • aprender a conhecer, isto é, adquirir os instrumentos da compreensão;
  • aprender a fazer, para poder agir sobre o meio envolvente;
  • aprender a viver junto, a fim de participar e cooperar com os outros em todas as atividades humanas;
  • aprender a ser, via essencial que integra os três precedentes.

Nessa concepção, as metodologias ativas são ferramentas essenciais para alcançar o que se considera o elemento central, ou seja, o sujeito ativo, crítico, capaz de transformar e ser transformador de seu contexto. Assim, as técnicas de ensino, traduzidas pelas formas de condução do processo, devem ser técnicas que permitam trabalhar a representação do conjunto das questões, que exercitem a comunicação, o trabalho em equipe, os contatos que se fazem, as formas de convivência do e com o diferente.

Para se atingir os resultados esperados, outro ponto fundamental para os processos de mudança tem sido a parceria dos serviços de saúde com a comunidade, que muito tem contribuído para abrir o mundo da academia ao mundo do trabalho e abrir os dois (academia e trabalho) ao mundo de atenção e do papel dos vários sujeitos na produção da saúde.

O trabalho realizado na área da saúde se configura por meio do processo de produção das relações entre os cuidadores e o usuário final que, com suas necessidades particulares de saúde, dá aos profissionais a oportunidade de tornar públicas suas distintas intencionalidades, no cuidado da saúde, tornando-se responsáveis pelos resultados da ação cuidadora.

A pedagogia da interação supera, com vantagens, a pedagogia da transmissão passiva de conhecimentos utilizada nos métodos tradicionais de ensino, possibilitando o aperfeiçoamento contínuo de atitudes, conhecimentos e habilidades dos estudantes. Facilita a estes o desenvolvimento dos seus próprios métodos de estudo, ensinando-os a selecionar criticamente os recursos educacionais mais adequados, trabalhar em equipe e aprender a aprender.

O currículo adotado contempla, com pensamento emancipatório, a atuação do futuro médico em novos cenários, preparando-o para as possíveis mudanças que vão acontecer. Em função desses novos cenários, deverão formar-se profissionais com capacidades criativas, e não meramente reprodutivas, e de investigação/pesquisa científica para enfrentar e resolver problemas.

A Unichristus decidiu-se por uma tendência educacional contemporânea, posicionando-se favorável a um processo de aprendizado mais ativo, capaz de estimular a “troca de informações entre professores e alunos” e entre os próprios alunos, estimulando a criatividade e levando-os a desenvolver a habilidade de reagir às novas situações que, de maneira concreta, serão impostas pela prática profissional.

A Unichristus adotou o Projeto Pedagógico centrado no aluno como sujeito da aprendizagem e no professor como facilitador do processo de ensino-aprendizagem, enfocando o aprendizado baseado em problemas e orientado para a comunidade.

Dentro da concepção de um currículo centrado no estudante e voltado para a comunidade, foi que desenhamos a nossa proposta pedagógica de Aprendizagem Ativa Centrada no Estudante Desenvolvendo Competências, Atitudes e Habilidades (ACEDECAH), na qual temos o ensino majoritariamente integrado, em que é eliminada a precedência cronológica do ciclo básico, servindo as áreas básicas e clínica como retaguarda e referência para a busca dos conhecimentos para a solução de problemas, sem estruturação em disciplinas.

Essa proposta está baseada em dois conceitos:

  • Aprendizagem Ativa

Orientada para o adulto, centrada em problemas e nos estudantes, colaborativa, integrada, interdisciplinar, utilizando pequenos grupos e operando em um contexto clínico e social. Durante todo o tempo, os estudantes buscam informações entre si, informalmente, nas bibliotecas e nas salas de aula, ou formalmente, por exemplo, em seminários organizados por eles próprios sobre temas que facilitem a aprendizagem das diversas áreas de conhecimento ligadas ao caso em questão.

Aqueles envolvidos no currículo ACEDECAH apresentam significativa mudança e melhoria quanto ao pensamento crítico, à resolução de problemas, à formulação e definição de problemas, aos estudos extra livros-texto, à tomada de decisão, ao estudo de literatura para a resolução de problemas, habilidade para argumentar sistematicamente prós/contras.

  • Diversificação de Ambientes

Centra-se na prática e na exposição precoce do aprendiz às reais necessidades de saúde da população. Os alunos têm a oportunidade de conhecer as doenças prevalentes em cada comunidade, o que desperta maior interesse por estas ao longo do curso.

O desenvolvimento científico e técnico e as condições do exercício profissional demandam um profissional com habilidade cognitiva e com um grau de responsabilidade e autonomia que lhe permitam sustentar a própria educação continuada com base em estudo independente. Por sua vez, o desenvolvimento da tecnologia médica demanda uma formação sistemática no processo de tomada de decisão, considerando-se os princípios da Bioética e a análise dos custos da atenção, pois o saber e a conduta estão indissoluvelmente unidos na atividade médica.

Outro conceito no modelo pedagógico adotado é o de aprender fazendo, introduzido no início do século XX, que sugere a inversão da sequência clássica teoria/prática, caracterizando que o conhecimento ocorre na ordem inversa, ou seja, da prática para a teoria.

Como existem várias possibilidades de ocorrer à aprendizagem e a própria construção do conhecimento, pode-se priorizar o ponto de partida como sendo a prática profissional e a prática social, não afastando a possibilidade de, em algumas vezes, ter-se como ponto de partida ideias, reflexões, questionamentos. Os próprios problemas podem ser observados e extraídos diretamente da prática vivenciada, mas outros serão elaborados por especialistas, com base na necessidade de incorporação de conceitos, noções, princípios etc., não sendo a prática profissional dos alunos o único ponto de partida para a ocorrência do conhecimento. A relação prática-teoria-prática deve ser priorizada.

Uma grande vantagem da aprendizagem baseada em problemas é a possibilidade de se discutir concomitantemente os aspectos biológicos, psicológicos, culturais e socioeconômicos envolvidos, uma vez que as ciências médicas se situam na interface das ciências biológicas e das ciências humanas. Na realidade, pretende-se conjugar o método pedagógico que melhor desenvolva os aspectos cognitivos da educação (aprender a aprender) com o método que permite o melhor desenvolvimento das habilidades psicomotoras e de atitudes (aprender fazendo).

O modelo pedagógico proposto não é exclusivista nem excludente. Seu eixo metodológico possibilita a oportunidade do exercício de outras técnicas pedagógicas, como é o caso das conferências e da abordagem teórica ou prática dos núcleos de conhecimento, momentos estes de natureza expositiva. Tanto a conferência como a abordagem teórica estão presentes na distribuição das atividades que serão operacionalizadas na semana padrão.

Em síntese: o modelo pedagógico do curso Aprendizagem Ativa Centrada no Estudante Desenvolvendo Competências, Atitudes e Habilidades (ACEDECAH) encontra-se fundamentado nos princípios da pedagogia interativa, de natureza democrática e pluralista, com um firme eixo metodológico que prioriza a aprendizagem baseada em problemas como metodologia de ensino-aprendizagem central. Está em consonância com as reformas pretendidas para o ensino médico, objetivando a formação do profissional generalista que esteja comprometido com a promoção, a prevenção e a recuperação da saúde, com base em princípios éticos e humanísticos estando voltado para as necessidades sociais da região, sendo totalmente fundamentado nas diretrizes curriculares para os cursos de Graduação em Medicina, (CNE/CES 1,133/2001) aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação e homologadas pela Resolução nº 4 de novembro de 2001.

Conceitos MEC

Conceitos MEC

Arquivos

Categorias

Acesso Rápido

  • estágios
  • abed
  • revista-saude
  • gestao-analise
  • opiniao-juridica
  • Selo-PROUNI
  • Selo-ABEM

Mídias Sociais

Unichristus
Unichristus 2015. Todos os direitos reservados.